domingo, 3 de janeiro de 2016

Passando o Reveillon fora de casa e terminando o meu blog - 31 de dezembro



Este ano foi realmente um ano decisivo para a minha vida. A ideia do blog surgiu depois de alguns acontecimentos que colocaram um ponto final em situações que eu estava vivendo por alguns anos. Decidi propor a mim mesma o desafio de sair do meu conforto e tentar dizer, fazer ou experimentar algo novo todos os dias.  Confesso que houve dias em que quis desistir e que em outros, dei uma enrolada, mas há uma postagem para cada dia, e isso é muito importante na vida de uma pessoa que quase nunca termina o que começa.

Decidir fazer algo novo todos os dias me fez abrir para novas experiências, me fez sair de casa e querer coisas novas. Fiz tantas coisas novas, como nunca havia feito, experimentei sensações, sabores e sentimentos maravilhosos; saí da escuridão e do mar de tristeza em que me encontrava por anos e encontrei uma luz. 

Tudo isso só foi possível porque decidi me amar acima de tudo. Hoje eu sei que sou uma mulher inteligente, e que apesar dos meus quase quarenta anos, sou bonita e tenho muito a oferecer. Sei que mereço ser amada com todas as forças e com todos os direitos que tenho, sei que sou especial e que não preciso de ninguém que não pense o mesmo. Sei que se ficar só, ficarei bem, e que se escolhi alguém para ficar ao meu lado, é porque esse alguém realmente vale a pena. Sei que preciso viver sem ter medo e que só me resta o amanhã; sei que o passado me formou, mas não vivo mais lá. Sei que vivo aqui e não quero desperdiçar o agora.

Ainda vou cruzar este mundo e vou ver muitas coisas. Sei que tudo é possível.

Há muito ainda que não sei e que preciso aprender, como ter mais compaixão, mais fé, e mais autocontrole, mas já não sei se conseguirei, apesar de saber que tudo é possível.

Sei que todos os nossos ideais estão quebrados e mortos  e que tudo no que acreditamos foi plantado em nossa cultura para que nos sentíssemos culpados e contribuíssemos para que os privilégios de poucos se perpetuassem, como a culpa pelo ócio, o medo da riqueza, a submissão, a aceitação das hierarquias sociais; sendo assim, a única coisa que realmente importa é não desperdiçar a vida com preocupações que vão além dela.

Este ano foi maravilhoso! Escrevi uma carta ao meu futuro amor e ele veio, mudou a minha vida. Voltei a viver e esqueci o diário das tristezas. Em um ano, minha vida se transformou radicalmente. Aconteça o que acontecer em 2016, sempre me lembrarei deste ano como o ano em que me tornei uma mulher de verdade.

Agradeço aos meus poucos leitores, desejo a todos um ano tão inacreditável quanto foi o meu. Aqui termino o meu blog, com uma pequena pontinha de tristeza.

Passei o Réveillon, depois de anos dentro de casa, na Praça da Estação de BH.  Agradeço a Deus, seja lá o que ele for, por tudo o que vivi. Obrigada de verdade.

Quem chegou até aqui poderá ver meus textos em Mulher Alienígena, que havia ficado meio abandonado.

Que 2016 seja ainda mais maravilhoso!

Tim tim!

Pensando sobre o momento certo - 30 de dezembro



Este ano foi um ano decisivo em minha vida sob vários aspectos, dos quais falarei na ultima postagem. Muitas coisas aconteceram e algumas decisões precisam ser tomadas, então a dúvida sobre o momento certo para tomar esta ou aquela decisão é inevitável. Durante muito tempo tenho ouvido as pessoas falarem que tudo tem a sua hora certa e que o tempo resolve tudo, mas que hora  é essa hora certa e quanto tempo é preciso para que as coisas se resolvam? Como ter a certeza de que se passou o tempo necessário e de que a hora certa chegou? Existe mesmo a hora certa, ou "quem sabe faz a hora e não espera acontecer"?  Que importância tem o passado em nosso presente, ou que futuro devemos esperar com o nosso passado? Será que estaremos prontos para decidir quando for a tal hora, ou ficaremos nos perguntando sobre o tempo, perdendo este único bem que temos, o próprio tempo?

Boas perguntas...

Tentando pegar Djavan com o filho - 29 de dezembro


Dia de música, cantei com o filho, depois vieram dois amigos dele gravar uma canção autoral.

Se quiserem ouvir, cliquem AQUI.

Comprando presente de natal atrasado - 28 de dezembro



Fui às compras com os pimpolhos e um deles encontrou o carro do "De volta para o futuro". Não achei que valia o preço, mas ele é apaixonado pelo filme. Também peguei uma graninha porque não tive tempo nem cabeça para escolher um presente para a minha querida mãe.

Imitando o Bob Esponja - 27 de dezembro



Crianças são maravilhosas, mas quando cismam com alguma coisa... Fiquei imitando o Bob Esponja várias vezes, além de tudo, vi o pessoal construir e soltar papagaio, e ainda ficamos planejando o futuro à tarde.

sábado, 2 de janeiro de 2016

Tomando decisões que mudarão minha vida - 26 de dezembro



Neste dia fomos ver algumas coisas que serão fundamentais para decisões que tomamos e tomaremos. Talvez nossas vidas mudem radicalmente em breve, espero que todas as boas energias nos guiem e nos invadam.

Natal cheio de amor - 25 de dezembro



Natal cheio de amor, tudo diferente, pessoas que aprendi a amar.