domingo, 3 de janeiro de 2016

Passando o Reveillon fora de casa e terminando o meu blog - 31 de dezembro



Este ano foi realmente um ano decisivo para a minha vida. A ideia do blog surgiu depois de alguns acontecimentos que colocaram um ponto final em situações que eu estava vivendo por alguns anos. Decidi propor a mim mesma o desafio de sair do meu conforto e tentar dizer, fazer ou experimentar algo novo todos os dias.  Confesso que houve dias em que quis desistir e que em outros, dei uma enrolada, mas há uma postagem para cada dia, e isso é muito importante na vida de uma pessoa que quase nunca termina o que começa.

Decidir fazer algo novo todos os dias me fez abrir para novas experiências, me fez sair de casa e querer coisas novas. Fiz tantas coisas novas, como nunca havia feito, experimentei sensações, sabores e sentimentos maravilhosos; saí da escuridão e do mar de tristeza em que me encontrava por anos e encontrei uma luz. 

Tudo isso só foi possível porque decidi me amar acima de tudo. Hoje eu sei que sou uma mulher inteligente, e que apesar dos meus quase quarenta anos, sou bonita e tenho muito a oferecer. Sei que mereço ser amada com todas as forças e com todos os direitos que tenho, sei que sou especial e que não preciso de ninguém que não pense o mesmo. Sei que se ficar só, ficarei bem, e que se escolhi alguém para ficar ao meu lado, é porque esse alguém realmente vale a pena. Sei que preciso viver sem ter medo e que só me resta o amanhã; sei que o passado me formou, mas não vivo mais lá. Sei que vivo aqui e não quero desperdiçar o agora.

Ainda vou cruzar este mundo e vou ver muitas coisas. Sei que tudo é possível.

Há muito ainda que não sei e que preciso aprender, como ter mais compaixão, mais fé, e mais autocontrole, mas já não sei se conseguirei, apesar de saber que tudo é possível.

Sei que todos os nossos ideais estão quebrados e mortos  e que tudo no que acreditamos foi plantado em nossa cultura para que nos sentíssemos culpados e contribuíssemos para que os privilégios de poucos se perpetuassem, como a culpa pelo ócio, o medo da riqueza, a submissão, a aceitação das hierarquias sociais; sendo assim, a única coisa que realmente importa é não desperdiçar a vida com preocupações que vão além dela.

Este ano foi maravilhoso! Escrevi uma carta ao meu futuro amor e ele veio, mudou a minha vida. Voltei a viver e esqueci o diário das tristezas. Em um ano, minha vida se transformou radicalmente. Aconteça o que acontecer em 2016, sempre me lembrarei deste ano como o ano em que me tornei uma mulher de verdade.

Agradeço aos meus poucos leitores, desejo a todos um ano tão inacreditável quanto foi o meu. Aqui termino o meu blog, com uma pequena pontinha de tristeza.

Passei o Réveillon, depois de anos dentro de casa, na Praça da Estação de BH.  Agradeço a Deus, seja lá o que ele for, por tudo o que vivi. Obrigada de verdade.

Quem chegou até aqui poderá ver meus textos em Mulher Alienígena, que havia ficado meio abandonado.

Que 2016 seja ainda mais maravilhoso!

Tim tim!

3 comentários:

  1. Parabéns Luh! Te admiro muito! Não temos tanto contato qnto eu gostaria, mas saiba q te acompanho de longe e q vc em muitos momentos foi uma inspiração. Deus te abençoe e saiba q querendo e tendo oportunidade terá em mim uma amiga. Jim e Feliz 2016 pra nós!Panta Rei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelas palavras! Infelizmente não tivemos ainda a oportunidade de trocarmos mais figurinhas, mas o que acompanho me fez admirá-la, pelo seu trabalho e postura. Desejo a você um ano precioso e que todos os desafios sejam vencidos, muitas felicidades para todas nós!!!!

      Excluir
  2. Presenciei tudo isso Tão longe tão perto e me orgulho muito de você....
    Que 2016 Venha tão abençoado quanto você merece.....

    ResponderExcluir